Now Reading

Fórum para discussões gerais.

Moderadores: FallenAngelx, GoncaloBCunha, Drustann

Re: Now Reading

Mensagempor Fringway em 06 Jan 2018, 14:09

Imagem

O conto da aia - Margaret Atwood: 5,0
Livrão esse aqui! Não vou adentrar muito no livro para não dar muitos spoilers, mas vou deixar um pequeno resumo: a história se passa em Gilead, os Estados Unidos do futuro, um país/sociedade que se forma com a acensão de um governo teocrático, após um atentado terrorista justificar a suspensão da constituição americana e se utilizar do medo generalizado para se impor. Tendo em vista a infertilidade generalizada da sociedade, as poucas mulheres férteis são transformadas em Aias, uma casta utilizada para mera reprodução e que reside na casa da elite. A história é o relato de uma dessas Aias, que trata do dia-a-dia desta sociedade, o relacionamento entre as diversas castas, conta como ocorreu a transformação dos Estados Unidos em Gilead, etc.

O livro é excepcional, surpreendentemente poético e bastante crítico. Muita gente tem apontado ele como um livro preponderantemente feminista, mas apesar de ele focar bastante na história das Aias, que, de fato, são tratadas como mero objetos, eu tive a impressão que o massacre social desse conto é generalizado: homens e mulheres considerados hereges são caçados como bicho. O poder está na mão de poucos (alguns homens e mulheres) e quem não integra a elite não tem direito a nada: sexo, relações interpessoais, uma vida própria, etc., são absolutamente proibidos. Então embora a crítica feminista esteja presente no livro, ele é muito mais abrangente e não se restringe a isso!

Fica a recomendação :up:
"Sing... And celebrate the chaos of this canvas that is night
Sing... But strike a chord of dissonance when harmony betrays to lure you blind into the light"
Avatar de usuário
Fringway
 
Mensagens: 5530
Data de registro: 12 Set 2005, 22:04
Localização: Belo Horizonte

Re: Now Reading

Mensagempor Vikström em 08 Jan 2018, 10:37

Belo review, Fring! Esse tá na minha lista faz tempo. Tinha colocado como prioridade uma época, mas minha namorada pegou pra ler primeiro e aí fui lendo outras coisas e deixando pra depois, acabei esquecendo. A série é fenomenal e as pessoas que eu conheço que leram o livro, cujas opiniões considero muito, só falam coisas boas. Quero ver se corrijo esse meu deslize e leio em 2018.

Eu estou lendo um livro pra lá de melancólico, chamado Stoner:
Imagem

É meio que um clássico cult da literatura americana do século XX. A história é simples: conta a vida do personagem-título, William Stoner, principalmente sua vida adulta enquanto marido, pai e professor de literatura na Universidade do Missouri. Falando assim não tem nada de mais, mas afirmo: vale a pena, a condução do autor é foda. Acabei de passar da metade e o livro é tão melancólico que por ora parece impossível terminar bem.
Avatar de usuário
Vikström
 
Mensagens: 21654
Data de registro: 11 Jun 2005, 14:26
Localização: Curitiba

Re: Now Reading

Mensagempor Monochromatic Stains em 08 Jan 2018, 20:17

Parece que na última década redescobriram esse John Williams lá nos EUA e com os elogios de muitos escritores famosos seus livros começaram a ser traduzidos para outras línguas.

Mas Vick você esqueceu de falar sobre a tradução brasileira :rules: :lol:
" I’m not interested in writing short stories. Anything that doesn’t take years of your life and drive you to suicide hardly seems worth doing. " Cormac McCarthy
Avatar de usuário
Monochromatic Stains
 
Mensagens: 1513
Data de registro: 10 Dez 2005, 23:09
Localização: MG

Re: Now Reading

Mensagempor Vikström em 09 Jan 2018, 23:00

A tradução e a falta de revisão tão me deixando meio puto, mas tô tentando relevar isso. :lol:
Avatar de usuário
Vikström
 
Mensagens: 21654
Data de registro: 11 Jun 2005, 14:26
Localização: Curitiba

Re: Now Reading

Mensagempor Tio Priest em 10 Jan 2018, 18:32

Fring e Vik leram dois livros que estão na minha pilha pra ler....e um dos dois será o próximo da minha leitura...

Terminei aqui...

Imagem


Gostei do livro, não conhecia nada da vida do Tolkien, o que eu gostei do livro foi perceber que Tolkien nasceu pra criar a Middle-Earth, mesmo com a infância pobre, mesmo passando por dificuldades, ele não abandonou o seu ideal, como diz o livro, ele viveu mais na Terra Média do que no mundo real, foi perfeccionista ao extremo, não vendeu seu livro de qualquer jeito e por qualquer dinheiro, mesmo necessitando em algumas épocas e nem mesmo a infância pobre serviu de cobiça....gosto de homens assim....
15 anos de MnV!!!!
Avatar de usuário
Tio Priest
Site Admin
 
Mensagens: 6226
Data de registro: 15 Fev 2003, 12:39
Localização: Visconde do Rio Branco - MG
Banda favorita: Judas Priest

Re: Now Reading

Mensagempor Kpetão em 10 Jan 2018, 22:45

Lutou e sobreviveu à Primeira Guerra, também.

Esse livro é bem legal... o único problema é que é curto... porque o Tolkien foi foda... Adoraria ler algo mais detalhado da época dele como professor de linguística, as pesquisas dele com o islandês e como tudo isso ajudou ele a criar uma língua inteira para a mitologia dele.
Imagem
Avatar de usuário
Kpetão
 
Mensagens: 21406
Data de registro: 08 Fev 2004, 20:05
Banda favorita: Metallica

Re: Now Reading

Mensagempor Diabo do metal em 11 Jan 2018, 04:25

Fringway escreveu:Imagem

O conto da aia - Margaret Atwood: 5,0
Livrão esse aqui! Não vou adentrar muito no livro para não dar muitos spoilers, mas vou deixar um pequeno resumo: a história se passa em Gilead, os Estados Unidos do futuro, um país/sociedade que se forma com a acensão de um governo teocrático, após um atentado terrorista justificar a suspensão da constituição americana e se utilizar do medo generalizado para se impor. Tendo em vista a infertilidade generalizada da sociedade, as poucas mulheres férteis são transformadas em Aias, uma casta utilizada para mera reprodução e que reside na casa da elite. A história é o relato de uma dessas Aias, que trata do dia-a-dia desta sociedade, o relacionamento entre as diversas castas, conta como ocorreu a transformação dos Estados Unidos em Gilead, etc.

O livro é excepcional, surpreendentemente poético e bastante crítico. Muita gente tem apontado ele como um livro preponderantemente feminista, mas apesar de ele focar bastante na história das Aias, que, de fato, são tratadas como mero objetos, eu tive a impressão que o massacre social desse conto é generalizado: homens e mulheres considerados hereges são caçados como bicho. O poder está na mão de poucos (alguns homens e mulheres) e quem não integra a elite não tem direito a nada: sexo, relações interpessoais, uma vida própria, etc., são absolutamente proibidos. Então embora a crítica feminista esteja presente no livro, ele é muito mais abrangente e não se restringe a isso!

Fica a recomendação :up:


Engraçado que esta parte onde trata do privilégio de poucos e no poder concentrado em pouca quantidade das pessoas, me lembrou alguns trechos da A República de Platão, olha que este livro foi escrito há tanto tempo que até hoje influencia várias pessoas, meu professor de filosofia citou algumas obras atuais que utilizaram do conceito básico de Platão deste livro que citei, que simplesmente fiquei impressionado, de fato, se tu ler A República verá vários pontos tratados nas grandes obras atuais, seja em filmes, séries e livros.

Tio Priest, peguei este livro por curiosidade para lê-lo, embora não tenha lido livros do Tolkien, como Senhor dos Anéis, O Hobbit, o Silmarillion e etc, mas só o fato do Tolkien se basear na Mitologia Nórdica para criar suas obras, nem precisar dizer mais nada. Amo tudo que envolve esta mitologia.

O último livro que lembro que li foi: "Corta pra mim" do Marcelo Rezende, li pouco tempo após sua morte, adoro ler biografias, já admirava o Marcelo Rezende antes de ler o livro - que conta parte de sua trajetória profissional e até sua vida pessoal - após ler o livro, minha admiração aumentou bastante. Um grande profissional e pessoa que perdemos. Sei que tem muita gente que simplesmente não suportou ele, que não gosta mesmo, que acha que era um péssimo profissional, mas durante estes últimos dias e anos acompanhei ele pelo Instagram, e digo que ali eu via a pessoa dele, o que ele era de verdade, só digo que era uma grande pessoa, com um coração enorme e muito simples, a típica pessoa que faz falta de verdade.

Estou com vários livros aqui para ler, estou organizando a ordem de leitura deles.
ImagemImagem
Avatar de usuário
Diabo do metal
 
Mensagens: 14902
Data de registro: 12 Dez 2004, 01:24
Localização: Belo Horizonte - Minas Gerais
Banda favorita: Rolling Stones/Raul Seixas/Led

Re: Now Reading

Mensagempor Vikström em 12 Jan 2018, 11:12

Esses tempos descobri que o Tolkien, como o C. S. Lewis, era politicamente conservador. Fui ler mais a respeito e achei fascinante como as opiniões dele beiram o puro anarquismo em alguns aspectos, enquanto em outros são quase reacionárias. Claro, esse "quase" é levando em conta a época, porque pros padrões de hoje ele seria muito provavelmente chamado de comunista, mortadela etc.

O que me leva a outro ponto: sou de esquerda, progressista, do tipo que acha boa parte da retórica à direita uma balela interminável. Mas não consigo deixar de admirar pessoas como Churchill e o Tolkien e o poder imaginativo desses caras, a capacidade de empatia e a sua visão de mundo. Daí você olha pra direita chucra brasileira, bolsonarista até o osso, e fica com vontade de enfiar o braço inteiro no próprio ânus e puxar até rasgar.
Avatar de usuário
Vikström
 
Mensagens: 21654
Data de registro: 11 Jun 2005, 14:26
Localização: Curitiba

Re: Now Reading

Mensagempor Tio Priest em 13 Jan 2018, 17:02

Um ponto que queria uma ajuda.....Nesse livro do Tolkien diz que havia um descontentamento dele em relação ao homem moderno, ao início do século XX, o Condado não seria apenas uma visão da sua infância mas um back to roots, sem tecnologia, sem disputas, um lance harmonioso.....Quando o Vick recomendou o Walden do Thoreau (que ainda vou ler esse ano também), é mais ou menos na mesma linha pelo que li em críticas, fugir do homem moderno....ai temos até o Chaplin criticando isso, talvez até acredite que esse mal foi uma das causas do surgimento do socialismo também.....alguém poderia explanar mais sobre esse tema, ou recomendar algum livro....eu estou meio confuso sobre o tema, mas pretendo entrar mais nisso....é tipo hoje, o individualismo, ostentação, o ter acima do ser....ajuda ai miguxos...
15 anos de MnV!!!!
Avatar de usuário
Tio Priest
Site Admin
 
Mensagens: 6226
Data de registro: 15 Fev 2003, 12:39
Localização: Visconde do Rio Branco - MG
Banda favorita: Judas Priest

Re: Now Reading

Mensagempor Kpetão em 13 Jan 2018, 19:31

Acho isso uma questão muito mais pessoal do que coletiva... Mas encontra razão, atualmente, quando você analisa a ideologia da sustentabilidade e autossuficiência. Quando a pessoa é autossustentável sem a intervenção social imposta pelo sistema.

É a pessoa que produz o próprio alimento, guarda sua própria água, gera sua própria energia.

Mas, mesmo na época do Tolkien, já era quase impossível isso. Se a terra é propriedade do país, você deve compra-la de alguém.

E aí, nessa vontade primordial, a questão ideológica de economia não é algo determinante. Tem muita gente que gostaria de viver assim porque odeia a ideia da existência do Governo, com uma mentalidade conservadora... assim como existem os que acham que viver assim, com outras pessoas vivendo da mesma maneira, de maneira cooperativa, tem uma visão mais socialista.

Acho que um livro que trata dessa questão é o Desobediência Civil, do Thoreau e o tratado d'A Origem da Família, Propriedade Privada e do Estado, do Engels.
Imagem
Avatar de usuário
Kpetão
 
Mensagens: 21406
Data de registro: 08 Fev 2004, 20:05
Banda favorita: Metallica

Re: Now Reading

Mensagempor Tio Priest em 15 Jan 2018, 22:12

Valeu Kpetitos.....vou ter que ler Thoreau mesmo :blub:
15 anos de MnV!!!!
Avatar de usuário
Tio Priest
Site Admin
 
Mensagens: 6226
Data de registro: 15 Fev 2003, 12:39
Localização: Visconde do Rio Branco - MG
Banda favorita: Judas Priest

Re: Now Reading

Mensagempor Ratão do Banhado em 16 Jan 2018, 13:12

Esse livro do Thoreau é fantástico, inspirador.

Falo da versão que traz a Desobediência Civil e Walden, tá por volta de uns 40 reais.
Imagem

RED BEFORE BLACK
Avatar de usuário
Ratão do Banhado
 
Mensagens: 5782
Data de registro: 20 Nov 2006, 11:42
Localização: Vizinho do Ancapistão
Banda favorita: Darkthrone

Re: Now Reading

Mensagempor Tio Priest em 16 Jan 2018, 21:08

Fringway escreveu:Imagem

O conto da aia - Margaret Atwood: 5,0
Livrão esse aqui! Não vou adentrar muito no livro para não dar muitos spoilers, mas vou deixar um pequeno resumo: a história se passa em Gilead, os Estados Unidos do futuro, um país/sociedade que se forma com a acensão de um governo teocrático, após um atentado terrorista justificar a suspensão da constituição americana e se utilizar do medo generalizado para se impor. Tendo em vista a infertilidade generalizada da sociedade, as poucas mulheres férteis são transformadas em Aias, uma casta utilizada para mera reprodução e que reside na casa da elite. A história é o relato de uma dessas Aias, que trata do dia-a-dia desta sociedade, o relacionamento entre as diversas castas, conta como ocorreu a transformação dos Estados Unidos em Gilead, etc.

O livro é excepcional, surpreendentemente poético e bastante crítico. Muita gente tem apontado ele como um livro preponderantemente feminista, mas apesar de ele focar bastante na história das Aias, que, de fato, são tratadas como mero objetos, eu tive a impressão que o massacre social desse conto é generalizado: homens e mulheres considerados hereges são caçados como bicho. O poder está na mão de poucos (alguns homens e mulheres) e quem não integra a elite não tem direito a nada: sexo, relações interpessoais, uma vida própria, etc., são absolutamente proibidos. Então embora a crítica feminista esteja presente no livro, ele é muito mais abrangente e não se restringe a isso!

Fica a recomendação :up:


Estou quase terminando esse também, estou gostando.....a única coisa que não gostei ainda é o fator temporal da coisa.....quando a personagem principal ou os outros tocam sobre o passado, a impressão que se tem é que seria um passado distante, tando que a Aia por vezes diz não se lembrar de determinada coisa, além de que a sua "função" na sociedade não pode ser exercida por nenhuma velhinha....mas quando por exemplo ela vai ao hotel onde há várias mulheres e o comandante diz que aquela era isso, a outra aquilo, parece que o passado não é tão distante assim, pois supõe se que as mulheres naquele ambiente não sejam velhinhas... :lol: :lol: estou nessa parte do livro, estou gostando..... :up: Então acho que para uma mudança social tão brusca, o tempo aqui tem seus problemas.....
15 anos de MnV!!!!
Avatar de usuário
Tio Priest
Site Admin
 
Mensagens: 6226
Data de registro: 15 Fev 2003, 12:39
Localização: Visconde do Rio Branco - MG
Banda favorita: Judas Priest

Re: Now Reading

Mensagempor Tio Priest em 16 Jan 2018, 21:16

Diabo do metal escreveu:Tio Priest, peguei este livro por curiosidade para lê-lo, embora não tenha lido livros do Tolkien, como Senhor dos Anéis, O Hobbit, o Silmarillion e etc, mas só o fato do Tolkien se basear na Mitologia Nórdica para criar suas obras, nem precisar dizer mais nada. Amo tudo que envolve esta mitologia.


Engraçado que eu já lido O Silmarillion uns anos atrás, eu acho, e ano passado reli A História de Kullervo e ai descobri esse lance com a mitologia islandesa, então li a biografia que também cita isso, e como tenho um projeto de leitura Tolkien pra esse ano, resolvi reler O Silmarillion essa semana e os nomes dos personagens são bem finlandeses, detalhe que ficou mais nítido dessa vez...
15 anos de MnV!!!!
Avatar de usuário
Tio Priest
Site Admin
 
Mensagens: 6226
Data de registro: 15 Fev 2003, 12:39
Localização: Visconde do Rio Branco - MG
Banda favorita: Judas Priest

Re: Now Reading

Mensagempor Fringway em 16 Jan 2018, 21:25

Tio Priest escreveu:
Fringway escreveu:Imagem

O conto da aia - Margaret Atwood: 5,0
Livrão esse aqui! Não vou adentrar muito no livro para não dar muitos spoilers, mas vou deixar um pequeno resumo: a história se passa em Gilead, os Estados Unidos do futuro, um país/sociedade que se forma com a acensão de um governo teocrático, após um atentado terrorista justificar a suspensão da constituição americana e se utilizar do medo generalizado para se impor. Tendo em vista a infertilidade generalizada da sociedade, as poucas mulheres férteis são transformadas em Aias, uma casta utilizada para mera reprodução e que reside na casa da elite. A história é o relato de uma dessas Aias, que trata do dia-a-dia desta sociedade, o relacionamento entre as diversas castas, conta como ocorreu a transformação dos Estados Unidos em Gilead, etc.

O livro é excepcional, surpreendentemente poético e bastante crítico. Muita gente tem apontado ele como um livro preponderantemente feminista, mas apesar de ele focar bastante na história das Aias, que, de fato, são tratadas como mero objetos, eu tive a impressão que o massacre social desse conto é generalizado: homens e mulheres considerados hereges são caçados como bicho. O poder está na mão de poucos (alguns homens e mulheres) e quem não integra a elite não tem direito a nada: sexo, relações interpessoais, uma vida própria, etc., são absolutamente proibidos. Então embora a crítica feminista esteja presente no livro, ele é muito mais abrangente e não se restringe a isso!

Fica a recomendação :up:


Estou quase terminando esse também, estou gostando.....a única coisa que não gostei ainda é o fator temporal da coisa.....quando a personagem principal ou os outros tocam sobre o passado, a impressão que se tem é que seria um passado distante, tando que a Aia por vezes diz não se lembrar de determinada coisa, além de que a sua "função" na sociedade não pode ser exercida por nenhuma velhinha....mas quando por exemplo ela vai ao hotel onde há várias mulheres e o comandante diz que aquela era isso, a outra aquilo, parece que o passado não é tão distante assim, pois supõe se que as mulheres naquele ambiente não sejam velhinhas... :lol: :lol: estou nessa parte do livro, estou gostando..... :up: Então acho que para uma mudança social tão brusca, o tempo aqui tem seus problemas.....

Já vi algumas críticas nesse sentido, mas se pararmos para pensar, já vivenciamos mudanças sociais bruscas em um pequeno período de tempo. Quando li o livro Memórias de uma moça bem comportada, a Simone de Beauvoir relata que no final dos anos 20 uma amiga dela visitou a Alemanha e ficou surpreendida com a pluralidade e com a abertura do país. Em menos de 10 anos, toda a pluralidade foi destruída e o país caiu num totalitarismo que prescinde de descrições. Obviamente a mudança social do Conto da Aia é mais profunda e mais complexa, a ponto de tal sociedade ser inverossímil mesmo que se tivesse passado 50 anos, mas acho interessante a ideia de que 15 anos (pela idade da Aia, 35 anos, suponho que esse pode ser o tempo do novo regime) é capaz de mudar a cara de um país!
"Sing... And celebrate the chaos of this canvas that is night
Sing... But strike a chord of dissonance when harmony betrays to lure you blind into the light"
Avatar de usuário
Fringway
 
Mensagens: 5530
Data de registro: 12 Set 2005, 22:04
Localização: Belo Horizonte

Re: Now Reading

Mensagempor Tio Priest em 17 Jan 2018, 21:41

É.....eu suponho que entre o início de tudo até o dia atual da história, no máximo se passam uns 15 anos......pode ser que seja o PT, pois antes do PT, o Brasil era uma Suíça.... :lol: :lol: :lol: :lol: :lol: :lol: :lol:

Terminando o livro, curti mas nem tanto.....não tem aquele despertar do Fahrenheit 451, não tem o terror da segunda parte de 1984 (ao qual eu lembro que era tenso mas esqueci muito da história) e até o A Estrada trás um futuro bem mais tenso...
15 anos de MnV!!!!
Avatar de usuário
Tio Priest
Site Admin
 
Mensagens: 6226
Data de registro: 15 Fev 2003, 12:39
Localização: Visconde do Rio Branco - MG
Banda favorita: Judas Priest

Re: Now Reading

Mensagempor Fringway em 18 Jan 2018, 07:59

Tio Priest escreveu:É.....eu suponho que entre o início de tudo até o dia atual da história, no máximo se passam uns 15 anos......pode ser que seja o PT, pois antes do PT, o Brasil era uma Suíça.... :lol: :lol: :lol: :lol: :lol: :lol: :lol:

:lol: :lol: :lol:
"Sing... And celebrate the chaos of this canvas that is night
Sing... But strike a chord of dissonance when harmony betrays to lure you blind into the light"
Avatar de usuário
Fringway
 
Mensagens: 5530
Data de registro: 12 Set 2005, 22:04
Localização: Belo Horizonte

Re: Now Reading

Mensagempor Fringway em 18 Jan 2018, 21:41

Imagem

The remains of the day - Kazuo Ishiguro: 3,0

Eu devo estar ficando rabugento, porque, pelos review no GoodReads e pela opinião dos meus amigos, eu fui um dos poucos que não gostou muito do livro.

A premissa do livro é relativamente simples: após a Segunda Guerra Mundial, o mordomo Stevens, que trabalhou grande parte de sua vida em Darlington Hall para o Lorde Darlington, mas que está agora sob os serviços de um novo empregador, ainda em Darlington Hall, tira alguns dias de descanso para procurar uma antiga empregada da mansão. Essa viagem teve por ensejo uma carta que ele recebera desta empregada (Miss Kenton) e de seu desejo de que ela retornasse aos serviços de Darlington Hall para ajudá-lo em seus afazeres. Ao longo desta viagem, o narrador apresenta inúmeras reminiscências do passado, que constroem uma vívida imagem de uma casa da importância de Darlington Hall, de suas influências nas questões políticas internacionais, bem como de seu relacionamento com seu patrão e com a Miss Kenton.

O livro é bastante bem escrito, o inglês é muito polido, bem pensado e altamente fluido. Dá pra ver o cuidado e o esmero que o Ishiguro teve na escolha das palavras e na construção das frases do livro, o que dá um grande prazer na leitura per se.

O grande problema, para mim, é que volta e meia eu não conseguia aturar o narrador. Eu sei que foi proposital, que o narrador é um mordomo inglês constrito, que quer o tempo inteiro manter sua dignidade, independentemente do que aconteça, e isso provavelmente é o que se era esperado no exercício dessa função, pelo menos na Inglaterra. E eu consigo entender que muito da história é o que não foi dito, são as sutilezas de você entender o que se passa no coração do Stevens não pelo que ele diz, mas sim pelo que os outros personagens observam nele.

Mas sinceramente, o livro é - me apropriando do que o Vik disse nesse tópico - exageradamente inglês. E olha que eu gosto muito de livros ingleses, eu gosto do humor do Douglas Adams e do Monty Python, eu gosto de Charles Dickens, eu gosto de Sherlock. Mas aqui a pompa britânica de um mordomo que vive para servir me incomodou demais. O livro inteiro eu ficava importunado com a falta de tato do Stevens, de como ele parecia um robô empoleirado, pronto para servir o mestre e azar do que acontecesse. Isso me enfadou bastante e em vários momentos tornava a história tediosa.

Eu tenho que admitir que ela tem bons momentos e nesses momentos é possível ter uma grande empatia com o Stevens. A gente vê algumas belas reflexões sobre nostalgia, sobre a dificuldade de se agir diante de algumas situações, etc. A verdade é que em vários momentos eu gostava do narrador e me comovia com sua história, mas os episódios em que ele se perde em seu empolamento e em seus maneirismos é muito grande e isso me incomodou tremendamente.

Fica então minha nota 3, que eu atribuo à bela escrita e aos bons momentos do livro. Mas a verdade é que ele podia ser muito melhor.

Talvez eu esteja sendo injusto e exageradamente crítico, mas foi isso que eu senti ao ler o livro. O que não impede que eu mude de opinião se eu vier a lê-lo em outro momento. Mas, agora, ele foi um livro que me deu preguiça.

Eu me pergunto se os outros livros do Ishiguro seguem essa linha ou se eles são mais diversificados.
"Sing... And celebrate the chaos of this canvas that is night
Sing... But strike a chord of dissonance when harmony betrays to lure you blind into the light"
Avatar de usuário
Fringway
 
Mensagens: 5530
Data de registro: 12 Set 2005, 22:04
Localização: Belo Horizonte

Re: Now Reading

Mensagempor Vikström em 19 Jan 2018, 09:24

Mais um belo comentário do Fringwhey Proteína! Engraçado, esse aí é o livro mais celebrado do Ishiguro, mas é também o que menos quero ler - exceto por aquele de contos, que parece, de longe, ser bem desinteressante. Mas sobre o que você leu, fico muito reticente com esse lado inglês do livro. Sei lá, quando é presente demais acaba me incomodando. Sei que é uma característica cultural, mas em termos literários nem sempre me ganha - às vezes me repele. Eu não lembro quando falei isso, mas obrigado pelo lembrete.

Mas em relação a isso:

Fringway escreveu:Eu me pergunto se os outros livros do Ishiguro seguem essa linha ou se eles são mais diversificados.


Acho que ele varia bastante, tanto em temática quanto em gênero. Os dois últimos romances dele, Não me abandone jamais e O gigante enterrado, são uma ficção científica e uma fantasia, respectivamente.

A Companhia das Letras vai publicar An Artist of the Floating World e A Pale View of Hills esse ano. Tenho curiosidade de conhecer esses primeiros trabalhos. O único que tenho é o Never Let Me Go, então acho que começarei por ele em algum momento em 2018.
Avatar de usuário
Vikström
 
Mensagens: 21654
Data de registro: 11 Jun 2005, 14:26
Localização: Curitiba

Re: Now Reading

Mensagempor Fringway em 19 Jan 2018, 13:22

Pois é, eu fui ler ele justamente porque era o com maior nota no GoodReads, lá pelos 4,11! Na verdade, foi por isso que eu não peguei o Never let me go, mas por alguns comentários, ele parece seguir o mesmo estilo narrativo do The remains of the day. E eu me lembro de você ter dito isso, porque quando li eu pensei: "qual o problema de ele ser muito inglês?". Mas esse lado muito britânico realmente acabou me incomodando. E o problema não é só ser muito britânico, como eu disse, eu me divirto com o humor inglês. O problema é que é um britânico exacerbadamente exagerado e muito pontualmente localizado: ele só faz sentido para os mordomos das grandes casas dos maiores lordes da Inglaterra.

De qualquer forma, vou manter a cabeça aberta em relação a ele e vou ver se pego o Never let me go ainda esse ano para ver se ele se redime. Espero ver um review seu do livro, para ver se vale à pena eu me aventurar :lol: :up:
"Sing... And celebrate the chaos of this canvas that is night
Sing... But strike a chord of dissonance when harmony betrays to lure you blind into the light"
Avatar de usuário
Fringway
 
Mensagens: 5530
Data de registro: 12 Set 2005, 22:04
Localização: Belo Horizonte

Re: Now Reading

Mensagempor Vikström em 19 Jan 2018, 14:54

:lol: :lol: :lol:

Fechou, devo ler em breve e posto aqui (ou no Goodreads, não tenho essa hábito, mas quero começar) uma resenha da criança.

No momento tô lendo um brasileiro:
Imagem

A capa e o título me ganharam de imediato. O livro é bem maluco, ainda não sei se estou gostando ou não, mas vamo que vamo. É grandinho, tem 463 páginas.
Avatar de usuário
Vikström
 
Mensagens: 21654
Data de registro: 11 Jun 2005, 14:26
Localização: Curitiba

Re: Now Reading

Mensagempor Fringway em 19 Jan 2018, 15:17

Eu também tenho vontade de postar no Goodreads, mas sempre fico na dúvida se posto em inglês ou em português e acabo desistindo! :lol:

Não conheço o autor, mas a capa é bastante interessante! Junto com o título, ela me passou uma ideia de sertão!

Muitas vezes eu deixo a literatura brasileira atual um pouco de lado, mas não faço isso na maldade! Sempre que algo me interessa, acabo indo atrás, como o A resistência, do Julián Fuks, que eu acabei de pegar para ler!
"Sing... And celebrate the chaos of this canvas that is night
Sing... But strike a chord of dissonance when harmony betrays to lure you blind into the light"
Avatar de usuário
Fringway
 
Mensagens: 5530
Data de registro: 12 Set 2005, 22:04
Localização: Belo Horizonte

Re: Now Reading

Mensagempor Vikström em 19 Jan 2018, 19:17

Eu gostei desse livro do Fuks, o cara pode vir a ser um dos grandes. Uma coisa que me incomoda na literatura brasileira contemporânea é o excesso de autoficção nas obras, sinto falta de algo mais imaginativo e menos voltado para o próprio umbigo. Esse livro não é exceção, mas consegui relevar isso por conta da escrita, que é muito boa. Os diálogos com política e psicanálise também me ganharam. Porém num próximo livro do Julián Fuks eu já ficaria meio puto se visse que ele enveredou de novo pelos bosques da autoficção. Não que os escritores sejam obrigados a espelhar a realidade, mas é incrível como o Brasil contemporâneo passa ao largo de grande parte da produção literária sendo feita. Acho bem sintomático.
Avatar de usuário
Vikström
 
Mensagens: 21654
Data de registro: 11 Jun 2005, 14:26
Localização: Curitiba

Re: Now Reading

Mensagempor Fringway em 19 Jan 2018, 20:06

Eu estou achando o livro muito bom! Ainda estou no começo, nas primeiras 50 páginas e eu ainda só tenho um esboço da história, principalmente porque muito do que ele traz nesse começo é abstrato, são fragmentos da infância e reflexões sobre as relações entre irmãos, irmãos e pais, entre cada um e sua pátria, e sobre o peso que é ser adotado. Não dá pra sacar ainda muito bem exatamente do que é o livro, até porque eu não li a sinopse, mas achei a linguagem dele devastadora e várias das reflexões dele são feitas com bastante densidade. Vamos ver como o livro evolui!
"Sing... And celebrate the chaos of this canvas that is night
Sing... But strike a chord of dissonance when harmony betrays to lure you blind into the light"
Avatar de usuário
Fringway
 
Mensagens: 5530
Data de registro: 12 Set 2005, 22:04
Localização: Belo Horizonte

Re: Now Reading

Mensagempor Valderrama em 23 Jan 2018, 09:51

Imagem

sao diversos textos e quadrinhos.

estou no começo . os textos estou gostando. os quadrinhos nem tanto.
Imagem
Avatar de usuário
Valderrama
 
Mensagens: 8336
Data de registro: 24 Abr 2013, 14:38
Localização: SATAN PEIDORRERO
Banda favorita: IRON PEIDA

AnteriorPróximo

Retornar para Bate Papo

Quem está online

Usuários vendo este fórum: Nenhum usuário registrado online e 3 visitantes